Paredes em Transição

O movimento Paredes em Transição é uma rede de amigos que vivem na cidade de Paredes, no Norte de Portugal, que partilham a preocupação de que a debilitante dependência em combustíveis baratos de que a nossa sociedade e economia padecem – e que não está a receber a devida atenção dos vários governos, que parecem actuar na premissa de que o petróleo barato e abundante continuará por cá em perpetuidade – possa vir a resultar em graves e imprevisíveis problemas de que a tecnologia não conseguirá livrar-nos, e que poderão afectar muito negativamente o nosso futuro e o dos nossos filhos. Saiba mais no menu Projecto.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Será que a ASAE deixa?

É com prazer que informamos que no dia 17 de Dezembro teremos, em Paredes, uma sessão de esclarecimento sobre a regulamentação do comércio local de alimentos, com a presença de elementos da ASAE e das Finanças, à semelhança da sessão que os colegas de Portalegre organizaram em Abril último.
A sessão terá lugar no auditório da Junta de Freguesia de Castelões de Cepeda (Paredes) entre as 15 e as 17:00h.


“Como apoiar a produção local e o comércio de proximidade?” é o tema de uma sessão de esclarecimento que decorrerá no próximo dia 17 de Dezembro, entre as 15:00 e as 17:00 horas, no auditório da Junta de Freguesia de Castelões de Cepeda (Academia de Música de Paredes).

A iniciativa, promovida pela "Paredes em Transição – Associação para o Desenvolvimento Sustentável de Paredes" com o apoio da Junta de Freguesia de Castelões de Cepeda e da Associação Empresarial de Paredes, conta com a participação de técnicos da ASAE e das Finanças.
O desconhecimento das leis e dos regulamentos, e dos métodos de actuação da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, bem como as exigências fiscais, acabam, muitas vezes, por funcionar como um obstáculo ao desenvolvimento da economia local.
Esta sessão de esclarecimento procurará dar resposta a questões que se colocam aos "pequenos" produtores locais e a todos aqueles que lidam com produtos alimentares, querendo, também, contribuir para o desenvolvimento de uma economia local forte e resiliente.
Nesta sessão de esclarecimento poderá encontrar resposta a questões como:

“Poderei obter alguma receita adicional com a produção do meu quintal?”; “Poderei valorizar a minha produção frutícola através de métodos de transformação tradicionais?”;
“Poderei obter alguma receita suplementar com a criação dos meus animais?”
“Como gerente de restaurante, poderei comprar produtos directamente ao produtor local, ou usar produtos do meu próprio quintal?

Agradecimentos aos colegas de Portalegre pelo pioneirismo e pelo apoio que nos deram na preparação, e aos colegas de Telheiras e Sintra, pelo aconselhamento gráfico.
Optámos por manter o título “Será que a ASAE deixa?”, por um lado, porque é bom, por outro por respeito à gente de Portalegre, esperando que colegas de outras iniciativas o venham a adoptar no futuro, e que este evento de inegável utilidade para a comunidade venha a tornar-se um clássico do movimento de Transição em Portugal.

Ficam todos convidados a aparecer.
Um abraço de Paredes em Transição

7 comentários:

aNaTureza disse...

Olá Miguel!
Como correu a iniciativa?

Miguel Ângelo Leal disse...

Olá Ana!
Vai ser no dia 17 deste mês! Sábado a 8!

aNaTureza disse...

Desculpa, não tinha reparado na data.
Fico a aguardar o resultado.
É que tenho a impressão que este serviço está mais a favor dos "grandes", daí a minha curiosidade.

Miguel Ângelo Leal disse...

Não percebi, Ana, como é que este serviço pode estar mais a favor dos grandes???

FF disse...

Boa tarde,
Será possível saber a conclusão desta iniciativa?
Obrigado

Anónimo disse...

Foi uma boa iniciativa sim senhor,tive lá,fiquei a saber da existencia da PET, faz sentido o seu trabalho.

Miguel Ângelo Leal disse...

Obrigados pelos comentário e questões.
Não ficámos com a apresentação da ASAE e pediram-nos para não disponibilizarmos a filmagem na Internet, de modo que teremos que escutar a gravação e (não filmámos a apresentação gráfica)e consultar apontamentos para extrair a informação que interessa, o que levará o seu tempo.
Contamos, a tempo, disponibilizar o máximo de informação possível transmitida durante a sessão.
Desculpem o incómodo!