Paredes em Transição

O movimento Paredes em Transição é uma rede de amigos que vivem na cidade de Paredes, no Norte de Portugal, que partilham a preocupação de que a debilitante dependência em combustíveis baratos de que a nossa sociedade e economia padecem – e que não está a receber a devida atenção dos vários governos, que parecem actuar na premissa de que o petróleo barato e abundante continuará por cá em perpetuidade – possa vir a resultar em graves e imprevisíveis problemas de que a tecnologia não conseguirá livrar-nos, e que poderão afectar muito negativamente o nosso futuro e o dos nossos filhos. Saiba mais no menu Projecto.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Paredes em Transição 2010 - O Vídeo

E finalmente temos o nosso vídeo, feito pela nossa colega Arquitecta Paisagista Vanda Lopes: um apanhado das várias actividades que levámos a cabo em 2010 (e início de 2011), e que incluíram a confecção de doces e compota, pão, lacticínios, sabão a partir de óleo alimentar usado e ainda as actividades relacionadas com a produção de alimentos, como as hortas nas varandas, permablitzen (ou hortas-relâmpago), uma horta em espaço confinado, segundo princípios da permacultura... 
Espero que gostem do vídeo tanto quanto eu gostei, com certeza não tanto quanto nós gostámos de fazer o que aqui mostramos, e quem sabe, pode servir de inspiração a alguém...



Paredes em Transição 2010 - from leal4580 on Vimeo.

4 comentários:

Ricardo Marques disse...

Fabuloso!! Parabéns Miguel e resto da equipa.

Filipa disse...

Miguel,

gosto "MILHÕES"! Parabens a Paredes pela simplicidade, pela humildade, pela inspiração - olha por cima do ombro que eu venho atrás, de olhos bem abertos.

Um abraço forte
Filipa (Portalegre em Transição)

Anónimo disse...

Grande Miguel, que alegria me dá ver as vossas actividades e que inspiração! Caramba, isso é que é fazer a transição como ela deve ser feita. Um grande abraço, e olha bem, que eu também lá estou :)

Luis
PemT

Miguel Ângelo Leal disse...

Caríssimos, obrigado pelas palavras de incentivo. Ele bem é preciso! E ainda temos tanto, tanto para fazer!
E há que contagiar meio mundo!