Paredes em Transição

O movimento Paredes em Transição é uma rede de amigos que vivem na cidade de Paredes, no Norte de Portugal, que partilham a preocupação de que a debilitante dependência em combustíveis baratos de que a nossa sociedade e economia padecem – e que não está a receber a devida atenção dos vários governos, que parecem actuar na premissa de que o petróleo barato e abundante continuará por cá em perpetuidade – possa vir a resultar em graves e imprevisíveis problemas de que a tecnologia não conseguirá livrar-nos, e que poderão afectar muito negativamente o nosso futuro e o dos nossos filhos. Saiba mais no menu Projecto.

sábado, 23 de outubro de 2010

Jacqi Hodgson no GLOCAL 2010

Na Quinta-feira passada, 21 de Outubro, tive a oportunidade de apresentar, juntamente com a Jacqi Hodgson, coordenadora do projecto de decrescimento energético da cidade de Totnes, e autora do livro "Transition in Action: Totnes and District 2030. An Energy Descent Plan", uma palestra subordinada ao tema do movimento de Transição, em que também se falou do caso Paredes em Transição, em Portugal.
Esta palestra foi parte da a conferência GLOCAL 2010, organizada pela Câmara Municipal de Cascais e a Universidade Católica, e decorreu entre 20 e 22 de Outubro, nas instalações da LIPOR, em Ermesinde.
De notar que, na manhã do mesmo dia, o Luís Queirós, o autor do blog "Transição", apresentou o programa Rio Vivo, um movimento de Transição na aldeia de São Pedro de Rio Seco, no concelho de Almeida, de onde é natural, e de que é co-fundador.


A Jacqi tinha preparado uma apresentação adaptada ao caso português, em que a percepção das pessoas face ao problema do pico do petróleo é bem menor do que, por exemplo, no Reino Unido, de modo que, no início, esse tema foi bem abordado, passando então ao problema das alterações climáticas e tocando, em seguida e ao de leve, a contracção económica que se espera que venha a acontecer. Terminou esta fase da apresentação mencionando que o Modelo de Transição é a resposta lógica a estes problemas, encarando-os simultâneamente, iniciando um programa de relocalização da economia, decrescimento energético e reconstrução das resiliências locais.

Foi, então, apresentado o caso da cidade de Totnes (ou Transition Town Totnes, como agora é mais conhecida :-), mencionando-se os vários grupos de trabalho que foram constituídos, e apresentados alguns dos projectos com maior impacto na comunidade, como o lançamento de uma moeda local, as histórias da Transição (Transition Tales), o directório dos produtores de alimentos locais e as Ruas em Transição (Transition Streets).

Coube-me a mim, então, apresentar a nossa experiência com a criação do movimento Paredes em Transição, e o nosso colega Rúben subiu, então ao palco para apresentar o projecto Prove Terras do Sousa.

Esta palestra terminou com a realização de um curto exercício de criação de um plano de decrescimento energético, em que a assistência participou activamente. Este exercício será o tema do próximo artigo neste blog.



No momento da despedida, foi pedido a cada pessoa que formulasse um voto de modificar ou introduzir algo nas suas vidas que contribuísse para a sustentabilidade do Planeta, que o escrevesse num post-it, e que o partilhasse com todos, afixando-o na parede.


2 comentários:

Ana Teresa disse...

Olá,
vou tirar idéias daqui, a ver se consigo fazer alguma coisa por cá (São Miguel, Açores) neste sentido.
Agradeço a partilha

Miguel Ângelo Leal disse...

Força nisso, Ana Teresa, este tipo de movimento faz todo o sentido nos Açores!